PIOTALKS E CLÃDESTINO: OS PODCASTS QUE ATRAVESSARAM UMA PANDEMIA

Partilha esta Notícia

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Com o início da pandemia em 2020, o ato de fazer Escutismo tornou-se mais desafiante do que nunca. No entanto, também permitiu que a criatividade fosse colocada em prática e surgissem projetos bastante interessantes. Hoje falamos de dois em especial, elaborados por elementos de duas secções e agrupamentos distintos: o PioTalks e o ClãDestino, ambos em formato de podcast.

O PioTalks nasceu como alternativa do Empreendimento anual, previamente traçado pela Comunidade do 1052 – Quarteira para aquele ano escutista. A ideia partiu do Caminheiro Ricardo Espadinha, mas foi prontamente aceite e com muito entusiasmo por 6 Pioneiros, nomeadamente, Daniel Espadinha, Eva Pardal, Inês Reis, Marcos Mestre, Matilde Brito e Raquel Homem. Assim, este projeto surgiria como uma oportunidade para aplicarem o seu conhecimento e atitude escutista em algo mais que reuniões online.

O caso do ClãDestino foi bastante semelhante ao anterior, pois emergiu no mesmo contexto e com o mesmo objetivo. O Clã do 1174 – Boliqueime, começou por perceber que o formato de podcast estava a ganhar mais visibilidade com a impossibilidade de se sair de casa, e por isso, decidiu criar este projeto como complemento à sua página de Instagram. Desse modo, existiria mais um espaço onde os elementos poderiam partilhar as suas ideias, atividades e espírito escutista.

Quanto ao estilo de podcast adotado por cada um, tanto o projeto do 1052 – Quarteira como o do 1174 – Boliqueime utilizam o método de entrevista. O ClãDestino tem como meta um total de 10 episódios com cerca de 15 a 20 minutos, onde uma vez por mês, um dos elementos do Clã conduz uma entrevista sobre determinado tema com o convidado escolhido, que partilha as suas experiências e percurso de vida escutista. Por outro lado, o PioTalks apesar de seguir igualmente o estilo de entrevista pretende que os seus episódios decorram com base numa conversa casual entre oradores e convidados, de modo a introduzir os mais variados temas, começando pelo Escutismo, mas abordando, ao mesmo tempo, diversos tópicos relevantes e interessantes. Para além disso, o projeto visa também transmitir a jovialidade da IIIª secção através de dinâmicas que enriquecem o conteúdo de cada episódio e o tornam mais apelativo.

Neste contexto, conseguimos perceber que ambos os podcasts têm algo em comum na escolha dos seus convidados: o facto de pertencerem a alguma associação como o CNE. No que diz respeito ao ao ClãDestino, o “critério” de escolha abrange tanto Escuteiros Católicos como Escoteiros, Guias, FNA (Fraternidade Nuno Álvares), entre outros, quer estejam no ativo ou não. Quanto ao PioTalks, o “critério”, ainda que não considerem ter um, baseia-se no mesmo princípio mas é um pouco mais alargado, passando por estabelecer contacto com uma entidade que, tenha estado, de alguma forma, envolvida no Movimento e possua experiências e conhecimentos que deseje partilhar. São disso exemplo alguns dos seguintes: Escuteiros, Escoteiros, ex-Escuteiros, comediantes que já pertenceram ao CNE e Presidentes de Junta de Freguesia. Adicionalmente, já ponderaram, também, entrevistar responsáveis de associações de ajuda humanitária.

Relativamente a temas que pretendem abordar futuramente os Pioneiros realçam:

“No futuro, queremos continuar a troca de ideias e impressões que temos vindo a conseguir com todos os nossos convidados, continuando a lutar a advogar um ambiente jovem, escutista e de grande paixão pelo movimento a que pertencemos.”

Já os Caminheiros salientam:

“Futuramente, pretendemos entrevistar elementos de outras regiões do país e de outras secções. Alguns chefes em cargos com mais responsabilidade que envolvem a organização de atividades regionais como o Chefe Regional, por exemplo. E quem sabe também o Assistente do nosso agrupamento.”

E tal como todos sabemos não há nenhum projeto que seja perfeito e que corra tal e qual como o idealizámos. Mas o importante é encontrar maneira de superar as adversidades. É isso que nos contam os criadores do PioTalks:

“Os desafios ultrapassados foram um pouco diferentes para todos. O principal foi ter de criar todo um projeto que tivesse consistência e coerência através de reuniões semanais em regime síncrono. Ao mesmo tempo, estabelecer um diálogo durante um extenso período de tempo com um convidado que estamos nervosos por conhecer é um pouco difícil e uma situação muito atípica com a qual tivemos de aprender a lidar. Já para não falar nas dificuldades técnicas inerentes a uma videochamada devido a falhas na rede ou Internet que, sinceramente, se revelaram como um ótimo quebra-gelo.

Como para todos os problemas de uma Comunidade, a solução que encontrámos foi, sem dúvida, a comunicação e a ajuda mútua. Verdadeiramente, a falar é que nos entendíamos e nos organizávamos de forma a criar um PioTalks que nos deixasse felizes e orgulhosos.”

A trajetória do ClãDestino é, mais uma vez, semelhante à do projeto da IIIª secção, sendo as dificuldades técnicas e o distanciamento físico os maiores desafios. Por outro lado, mencionam, ainda, uma outra questão:

A conciliação com a universidade é um dos desafios, visto que exige disponibilidade para a preparação, gravação e edição do podcast. Não conseguimos lançar os episódios de Junho e Julho, mas este mês voltaremos em força e com novas ideias.”

Para terminar, ambos os projetos garantem estar a receber um feedback bastante positivo desde a sua estreia. O PioTalks sublinha que alguns dos familiares e amigos não perdem um único episódio e que a comunidade angariada tem contribuído com sugestões e críticas construtivas, que certamente serão um grande auxílio na melhoria do podcast. Já o ClãDestino refere que já consegue perceber as preferências do seu público, que prefere episódios mais dinâmicos, onde exista uma conversa mais livre.